Famoso em Mi bemol maior

  • Postado por Ran

Como parte do programa acadêmico, nosso professor de arte convidou nossa sala para assistir um concerto de música clássica no sábado à noite. Por volta das 17h, fomos chegando à estação de trem próxima ao concert hall. Depois de ver o último estudante chegar, Jeff, o professor, nos chamou um por um para checar se todos estavam presentes.

Após alguns minutos de caminhada, chegamos ao concert hall. Apesar da multidão fora, tudo estava calmo, como se as pessoas já respirassem a atmosfera que certamente predominaria durante o recital lírico daquela famosa soprano.

Então, após alguns mais minutos esperando no lobby, a porta do hall foi aberta e todos foram permitidos procurar seus assentos. A sala era espaçosa e confortável. Nossos assentos iam do número 91A ao 101A, nosso professor escolheu o assento no corredor, e o recital começou.

Quando ouvi a primeira frase da primeira peça, concluí que não havia sido em vão as duas horas de trem de casa até o teatro. A voz da soprano cantando era como uma brisa sonora preenchendo toda a sala. Tinha-se a impressão de que ela saboreava cada palavra dos papéis que ela interpretava, da esposa abandonada da ópera do Puccini à Carmen do Bizet.

Tudo estava perfeito até nosso professor de música peidar. Não um peido comum, mas o peido mais poderoso que alguém no mais terrível pesadelo já imaginou. E o que foi pior, o peido foi dado a poucos segundos do início do segundo ato da terceira ópera. Pra piorar ainda mais, antes mesmo da multidão perceber o feito, a soprano começou a rir incontrolavelmente. E mesmo quando as pessoas pararam de rir, a cantora não conseguia parar. Então, ela foi forçada a sair de cena 'carregada' pelo regente, que estava rindo também.

Finalmente, alguns minutos depois, a soprano retornou e, tentando manter a serenidade, explicou para a audiência a razão do seu riso incontrolável: A altura do peido produzido pelo meu professor de arte foi quase da altura da primeira nota do segundo ato; para ser exato, um Mi bemol maior.